Funcionários da Rodoviária de BH recebem capacitação de orientação e mobilidade para pessoas com deficiência visual

Objetivo da ação é aperfeiçoar os profissionais para conduzir pessoas com deficiência visual com segurança e eficiência nas dependências do terminal rodoviário

imagem de destaque
Treinamento trabalha técnicas de como orientar o deficiente visual em sua locomoção em diversas situações
  • ícone de compartilhamento

A Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemge) iniciou, nesta quarta-feira (16/5), o Treinamento de Orientação e Mobilidade para Guia Vidente, curso destinado aos funcionários do Terminal Rodoviário Governador Israel Pinheiro (Tergip).

Promovido pelo Instituto São Rafael, escola exclusiva para pessoas com deficiência visual, em Belo Horizonte, o treinamento cumpre um dos acordos realizados durante a visita ao Tergip pela Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, em 23 de abril. O objetivo é capacitar os profissionais para conduzir os deficientes visuais com segurança e eficiência nas dependências da rodoviária.

No treinamento, que segue até quinta-feira (17/5), será abordada a forma de se relacionar com o deficiente visual e técnicas de como orientá-lo na sua locomoção em diversas situações.

A capacitação será realizada em quatro horas, nos períodos da manhã e tarde, sendo assim, formadas quatro turmas de funcionários. O curso está sendo ministrado pelas supervisoras do CAP São Rafael, Maria Cristina Silva Siqueira e Alessandra Pittella, que destacaram a importância de tratar de um assunto presente na vida de todos nós. A orientação é a capacidade de perceber o ambiente, saber onde estamos. A mobilidade é a capacidade de nos movimentar. 

Crédito: Divulgação/Codemge

A rodoviária é um local de grande fluxo de pessoas, registrando uma média diária de 40 mil usuários. “Esse treinamento é uma forma de assegurar tranquilidade aos funcionários, que passarão a ser guia vidente e que muitas vezes se sentem inseguros ao conduzir um deficiente visual”, destacou a supervisora, Maria Cristina. O maior desafio do deficiente visual é a locomoção independente.

Presente no primeiro dia do treinamento, o professor do Instituto São Rafael, Ananias Moreira, agradeceu pela oportunidade de ministrar o curso no Tergip. “No dia da visita, enfatizei a importância de capacitar. É fundamental mostrar para os funcionários o quão importante é a capacitação, para que estejam aptos a realizarem o atendimento adequado aos deficientes visuais que utilizam o Terminal Rodoviário. Garantindo, assim, a liberdade de ir e vir dessas pessoas”, afirmou.

Para a vigilante, Flávia Eliza, o curso veio agregar conhecimentos técnicos. “Sempre que presenciamos um deficiente visual procuramos atendê-lo e o curso nos deu noção de técnicas básicas no trato com essas pessoas. Assim, poderemos melhorar cada vez mais o atendimento, indo de encontro às reais necessidades do cego”, ressaltou.

A auxiliar de limpeza, Jéssica Rosa, por sua vez, evidenciou a atenção com o próximo e a valorização à vida. “O curso faz com que nos coloquemos no lugar do outro, neste caso, do deficiente visual. A técnica foi muito importante, pois nos orientou como proceder de forma correta com esse público específico”, destacou.

Para a pessoa com deficiência visual, a orientação se refere ao aprendizado no uso dos sentidos para obter informações do ambiente: saber onde está, para onde quer ir e como fazer para chegar ao lugar desejado. A pessoa para se orientar pode usar a audição, o tato, a cinestesia (percepção dos seus movimentos corporais), o olfato e a visão residual, quando for o caso. Já a mobilidade é o aprendizado para o controle dos movimentos corporais de forma organizada, segura e eficaz.

Conheça aqui as técnicas de guia vidente que foram ministradas no treinamento. Elas dão uma noção geral de como fazer a condução para que ambos, deficiente visual e guia vidente, possam andar tranquilamente em qualquer ambiente.

Desde que assumiu a gestão do Tergip, em março/2016, a Codemge tem realizado diversas obras e intervenções de melhorias. Entres elas, estão a adaptação de instalações, como é o caso da reforma dos banheiros, da colocação de pisos táteis, bebedouros acessíveis e cadeiras especiais. Confira aqui as melhorias que já foram feitas no Terminal. 



Últimas