Governo do Estado e UFMG assinam termo de cooperação para pesquisa em Unidades Prisionais

Iniciativa pretende medir e desmistificar os efeitos da exposição às radiações dos aparelhos de escaneamento corporal por raios-x, além de treinamento para os operadores dos equipamentos

imagem de destaque
O secretário da Seap, Francisco Francisco Kupidlowski, recebeu a equipe da UFMG para a assinatura do termo, na Cidade Administrativa
  • ícone de compartilhamento

O Governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap), e a Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), firmaram, nesta quinta-feira (10/8), termo de cooperação técnica. O objetivo é a realização de pesquisa e capacitação em unidades prisionais que utilizam os aparelhos de Body Scan e Raios-X, nos procedimentos de revista corporal.

A iniciativa visa medir e desmistificar os efeitos da exposição às radiações dos aparelhos, e com isso, garantir mais segurança aos servidores, visitantes, prestadores de serviço e detentos que passam por constantes inspeções.

Além da monitoração das doses emitidas pelos equipamentos que utilizam radiação ionizante, e daqueles que se submetem a essa exposição, haverá o treinamento dos funcionários que operam os equipamentos nas Unidades Prisionais quanto à utilização e interpretação adequada das imagens.

Na reunião, o secretário da Seap, Francisco Kupidlowski, destacou que a Faculdade de Medicina da UFMG possui reconhecimento internacional, o que torna a instituição apropriada para avaliar os equipamentos e capacitar os servidores a operá-los corretamente. “Nossa prioridade é zelar pela segurança dos nossos servidores e das demais pessoas que passam pelas inspeções em nossas Unidades Prisionais, garantindo que o procedimento seja reconhecido por sua eficiência”, disse.

O diretor da Escola de Medicina, Márcio Campos de Oliveira, enalteceu o trabalho dos coordenadores e professores à frente da pesquisa e destacou a importância da colaboração mútua entre a UFMG e a Secretaria de Estado de Administração Prisional.

“A Faculdade de Medicina é uma instituição pública e, além do nosso papel acadêmico de formar profissionais da área de saúde, buscamos justamente contribuir de forma efetiva com a sociedade, ampliando e aplicando o conhecimento”, afirmou.

Também participaram da reunião o coordenador do curso de Radiologia, Paulo Márcio de Oliveira, a professora da Faculdade de Medicina, Priscila do Carmo Santana, o subsecretário de Segurança Prisional, Washington Clark dos Santos, o superintendente da Academia do Sistema Prisional, Lincoln Ignácio Pereira, e a agente de segurança penitenciário e pesquisadora, Patrícia Rodrigues Oliveira.



Últimas