Miss Prisional Minas Gerais 2018 busca o resgate da autoestima da mulher presa

Podem concorrer cerca de 3.400 mulheres presas em unidades prisionais e Apacs do estado, desde que estejam trabalhando e/ou estudando, e não tenham sofrido sanções disciplinares graves no último ano

  • ícone de compartilhamento


Marcella Gaganani, da RMBH, foi a vencedora da última edição do concurso (Crédito: Gil Leonardi/Imprensa MG)


O Governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap), acaba de lançar o Miss Prisional 2018, um dos maiores projetos de resgate da autoestima da mulher presa do país.

Em 2018, o Miss Prisional Minas Gerais traz uma roupagem diferente das edições anteriores, realizadas nos anos de 2013, 2014 e 2016. A quarta edição do evento vem acompanhada de reflexões sobre o direito das mulheres, empoderamento feminino, desmitificação do conceito de beleza, valorização da autoimagem e resgate da dignidade e autoconfiança.

O superintendente de Trabalho e Ensino da Seap, Guilherme Lima, esclarece que, ao longo deste ano, concomitantemente às etapas regionais que acontecerão em todas as Regiões Integradas de Segurança Pública (Risps) do Estado, serão realizadas palestras e diferentes trabalhos voltados à mulher presa. O objetivo é proporcionar a elas um cumprimento de pena eficiente, do ponto de vista da transformação pessoal. A edição 2018 também terá representantes transexuais.

Antes da grande final, que será realizada em Belo Horizonte no mês de novembro, acontecerão seis seletivas estaduais para a escolha das candidatas das regiões Sul, Triângulo Mineiro, Norte de Minas, Vale do Aço, Zona da Mata e Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). O concurso é aberto a todas as 3.400 mulheres que estão custodiadas em unidades prisionais administradas pela Seap e também nas Associações de Proteção e Assistência ao Condenado (Apacs).

Para participar do concurso, as detentas precisam estar trabalhando e/ou estudando e não ter sofrido sanções disciplinares nos últimos 12 meses. Nas unidades prisionais, é fundamental o apoio dos agentes penitenciários e das equipes técnicas, a fim de que o propósito do projeto seja atingido. As unidades receberão da Diretoria de Ensino e Profissionalização da Seap material de apoio para que os servidores realizem palestras, rodas de conversa e sessões de filmes comentados. A criatividade da unidade também será incentivada.

Para o secretário-adjunto da Seap, Marcelo José Gonçalves da Costa, esta iniciativa, “aos olhos de algumas pessoas, tem um significado muito simples. Mas é um projeto muito grande. Ele tem um significado psicológico e emocional de grandeza e de valorização da autoestima. O Miss Prisional nos traz o sentimento do possível, através da beleza, da energia positiva e da busca por melhores condições de vida. O evento é uma prova do nosso envolvimento. Sou incentivador desta inciativa sempre”, destaca Marcelo.

O evento de lançamento ocorreu, nessa quarta-feira (16/5), no Complexo Penitenciário Estevão Pinto, em Belo Horizonte, com a presença das detentas da unidade, de representantes da Seap e da Defensoria Pública de Minas Gerais (DPMG).

Etapas

A unidade prisional que desejar participar deve se inscrever e organizar o seu concurso interno para a escolha de três candidatas. As escolhidas de cada unidade participarão da seletiva regional, onde será escolhida uma única candidata representante daquela região. As vencedoras regionais, por sua vez, participarão da final na capital mineira.



Últimas